Excertos

por Rodrigo Ghedin

Estamos vivendo o filme "Tubarão"

Assisti ao filme Tubarão, o clássico de 1975 dirigido por Steven Spielberg. Troque o tubarão pelo coronavírus, e uma passagem no espaço-tempo se abrirá.

Os paralelos estão todos ali e dispensam quaisquer adaptações. Tem o político negacionista, mais preocupado com o seu mandato do que em salvar vidas. Os empresários brigando para manter a praia aberta porque caso contrário a economia desanda. A solução fácil, rápida e equivocada — aqui, a hidroxicloroquina; no filme, a captura do tubarão errado. Até a invisibilidade da ameaça — no filme, o tubarão de quase sete metros pouco aparece na tela devido a restrições orçamentárias.

A comparação só se esfarela na hora de resolver o problema em definitivo. No filme, o cientista residente toca o foda-se e ingressa no grupo que resolve ao estilo estadunidense: com tiros e explosões. Na realidade, a autoridade de (in)segurança pública nacional já reconheceu que isso não vai funcionar desta vez. “É uma crise de saúde, não tem como prender o vírus”, disse um ministro, por incrível que pareça a sério.

21 Apr 2020 em #crônicas