Excertos

por Rodrigo Ghedin

O que acontece quando um tweet viraliza?

Aconteceu algo inusitado: um tweet meu viralizou. No momento em que escrevo isto, ele já passa de 1200 retweets e pouco mais de 1500 curtidas. Foi algo que me pegou de surpresa. Nunca tinha acontecido e imagino que não seja um fato tão corriqueiro, então achei que seria uma boa relatar a experiência.

A primeira sensação é o susto. Não sei você, mas já tinha pensado no que faria se, do nada, algum perfil meu em rede social começasse a bombar sem eu saber. Foi mais ou menos isso o que aconteceu.

Publiquei aquele tweet pouco antes de sair da redação. Vim para casa, tomei café, estava à toa no sofá quando resolvi dar uma olhada no Twitter. A aba de notificações marcava “36”, o que me deixou intrigado. Quando publico algo e passo o dia longe do Twitter, é raro chegar a 20 no acumulado. Fui verificar e vi que o tal tweet já tinha mais de 300 retweets.

Nos dois ou três dias seguintes, a aba de notificações ficou imprestável. A menos que eu filtrasse elas por menções (ou usasse o Tweetbot), perderia facilmente replies. Mas é tanta notificação, o tempo todo, que a sua atenção satura. Em determinado momento, passei a ignorar aquele número ali em cima. Não fazia sentido.

O tweet teve, até agora, 151 mil impressões e 25,8 mil “engajamentos”, número que engloba basicamente qualquer coisa que outras pessoas façam com o tweet. Desses, 98 foram cliques no meu perfil. É uma métrica interessante porque pode durar se ganhar novos seguidores. Porém, desde que o tweet foi publicado, apenas 15 passaram a me seguir, e nem posso cravar que foram todos decorrentes dele. Ser um “one hit wonder” no Twitter não compensa.

Se você tem problemas com números quebrados, tome este presente:

4999 seguidores

Outra coisa curiosa que aconteceu foi um print do meu tweet sair na página Ajudar o povo de humanas a fazer miçanga. A repercussão nos círculos mais próximos foi grande. Família e amigos repararam e comentaram, e até gente com quem há muito não conversava veio falar comigo sobre o post.

Nunca uma matéria minha teve uma “repercussão interna” tão forte, o que me deixou um pouco deprimido. Mas tudo bem. Se eu quisesse ser famoso, não seria jornalista, né?

8 Jul 2017