Excertos

por Rodrigo Ghedin

A web esquisita

Hoje alguém me perguntou por que os textos do Manual do Usuário não estão no Medium. Eu achei a pergunta estranha. Por que estariam? Se ainda não tivesse um site, vá lá, mas temos um e, modéstia à parte, um muito bom, bonito e bem rápido.

Questionei o leitor e ele disse que o Medium destaca o bom conteúdo. Lisonjeado, caí em mim que, hoje, em 2016, essa é a norma. As plataformas venceram — prova maior disso é a imprensa pedindo penico ao Facebook. A minha sorte, por ora, é que este blog que você está lendo não tem qualquer pretensão (nem de ser lido) e o Manual encontrou alguns leitores que entenderam o recado e veem, como eu, a beleza de não estar e não depender de uma rede social, de uma plataforma controlada por gente que não está muito preocupada com o que eu escrevo nem com as pessoas que me leem e que frequentam aquele espaço.

Eu sou, nesse contexto de publicação digital, um marginalizado. É bizarro porque quando tudo começou, e isso nem faz tanto tempo, ter um site era vanguarda. Mas as coisas, como diz gente velha, mudam rápido demais. Na velocidade, as trocas que fazemos turvam a vista para detalhes legais que, por serem detalhes, acabam rapidamente esquecidos.

Alguém inventou de fazer um repositório de blogs. Curioso com o tipo de pessoa que, hoje, em 2016, tem um blog e vai atrás de outros blogs (gente como eu), fui dar uma olhada na Central do Textão. Senti-me nostálgico. Cada quadrinho da página inicial é uma ligação para pequenos universos particulares. Não caio na mesma página azul de sempre; são layouts diferentes, com personalidade. Uns zoados, uns outros elegantes, cada um diferente e instigante.

O Manual do Usuário, meu site sobre tecnologia e meu ganha-pão, continuará longe do Medium por uma série de motivos. Dos menores, mas um pelo qual tenho apreço, é para evitar que ele se torne apenas mais um site com as mesmas linhas, a mesma tipografia, a mesma cara. Este blog, então? Muito menos. Eu nem sei direito por que ele ainda existe.

De qualquer forma, eu gosto da web esquisita, dessas surpresas, do inesperado atrás de um link insuspeito. Torço muito para que coisas como a Central do Textão ajudem-na a permanecer viva.

19 May 2016 em #meta