Excertos

por Rodrigo Ghedin

Meu nome em japonês

Ah, o Japão! Cultura riquíssima, culinária exótica, costumes milenares. Meu interesse neste longínquo país vem de cedo, desde os tempos em que passava os finais de semana, e os dias normais da semana, jogando jogos japoneses em um video game japonês, o PlayStation. Pouco depois, veio a febre dos animes, a princípio liderada por Pokémon e Dragon Ball Z. Dali foi um pulo para buscar informações sobre a terra do Sol nascente e também fazer brotar em mim o desejo de, um dia, conhecê-la.

Na época do PlayStation, um dos meus jogos favoritos era um de futebol, Winning Eleven. Todas as versões da franquia tinham uma característica em comum: os menus e nomes dos jogadores vinham em japonês! Evidente que não sabia o nome de nenhum jogador estrangeiro, mas os brasileiros eram identificáveis por dedução. E, graças a este atalho, aprendi duas sílabas em japonês:

'RO' em japonês.
Significa “Ro”.

'RI' em japonês.
Significa “Ri”.

O primeiro era fácil aprender devido à grande quantidade de “Ro” na seleção brasileira: Ronaldo, Roberto Carlos, Romário. Já o “Ri” era por causa do Rivaldo. E o que podemos concluir disso? Que esses jogos são muito velhos.

Alguns anos mais tarde, uma amiga de longa data me deu um presente. Pequeno, singelo, porém incrível. Era o ano de 2002, estávamos no segundo ano do Ensino Médio, e do nada a Denise me deu um papelzinho, com meu nome grafado em japonês por ela mesma! Na época, ela estava fazendo aulas de japonês — que dali a pouco mais de um ano se mostrariam úteis, pois ela se mudou para o Japão.

Graças à minha mania de guardar cadernos e folhas da escola, pude encontrar com relativa facilidade o papel. Veja que legal:

'Rodrigo Passoli Ghedin' em japonês.

Repare que a leitura é de trás para frente, e a escrita, verticalizada. Meu nome está escrito em katanana, um dos “alfabetos” japoneses.

Ontem, lendo meu agregador de feeds, me deparei com uma manchete curiosa no Terra Tecnologia: “Site converte nomes para o japonês”. Cliquei no link, que me levou à página Japanese Translator.

O sistema é simples. Basta inserir um nome, e clicar no botão “Translate”. É possível, ainda, escolher a “fonte”. Minha favorita é a “Calligraphy”. Entretanto, o sistema só reconhece nomes “comuns”; sobrenomes e nomes japoneses ele não converte. Então, se você tem um nome comum, como o meu (Rodrigo), divirta-se!

'Rodrigo' em japonês.

22 Aug 2006 em #etc